Roteiro de aulas

Endocardite Bacteriana e Febre Reumática

  1. I) Endocardite Bacteriana

    Infecção das válvulas cardíacas ou das superfícies endoteliais do coração.

    1- Risco de Bacteremia.
    – extensão do trauma
    – quantidade de microorganismos presentes
    – grau de inflamação preexistente

    2- Patogênese:
    Coagulo estéril de fibrina plaquetária, ninho para proliferação bacteriana.

    3- Pacientes de risco:
    – Histórico de endocardite
    – Portadores de próteses valvulares
    – Cardiopatias congenitas
    – Valvulopatias adquiridas
    – Historia de febre reumática.

    4- Tratamento odontológico:
    – Profilaxia antibiótica
    – Sedação complementar.
    – Consultas curtas
    – Anti-sepsia intra e extra oral
    – Seleção do anestésico ( s/ vasoconstrictor)
    – Fio afastador

    5- Tratamento profilático:
    – Amoxicilina-2g vo 1 hora antes do procedimento – criança: 50 mg p/kg de peso
    – Penicilina v- 2000 ui 1 hora antes do procedimento – criança:67mg p/ kg de peso
    – Clindamicina: 600 mg 1 hora antes do procedimento – criança:15mg/kg de peso

    6- Sintomatologia
    – Febre persistente.
    – Fraqueza
    – Anorexia, Cefaléia.
    – Dores no corpo.
    – Dispnéia

    II) Febre Reumática

    Doença auto imune. Estreptococos B hemolítico: O organismo irá produzir anticorpos contra as toxinas dos estreptococos.

    1- Exame antiestreptolisina O: Valores anormais: > 200u/ml de soro= resposta imunológica acentuada.

    2- Tratamento: Penicilina

    3- Sintomatologia:
    – Poliartrite nas grandes articulações.
    – Cardite-nódulos de Aschoff
    – Eritema marginatum
    – Nódulos sub cutâneos (Maynet)
    – Coréia de Sydenham.
    – Febre

    Roteiro de aula elaborado pela Monitora da UNISA CLARA BARROS