Roteiro de aulas

Emergências em Odontologia

  1. O Cirurgião Dentista como profissional da área de Saúde, tem a obrigação de conhecer, diagnostica e eventualmente tratar pacientes em situações emergências, da principalmente quando tais ocorrências se dão no consultório. Selecionamos algumas dessas situações e deixamos as demais como objetivo de outra aula. Estude com atenção !! Lembre-se sempre que nós usamos “branco” e que numa emergência, a intervenção cabe a nós !!

    CRISE HIPERTENSIVA

    Definida como aumento brusco da pressão arterial, oxigenado geral por situação de medo e /ou stress.

    Diagnóstico: Cefaléia severa, escurecimento da Visão, rubor facial, tontura, náuseas. Eventualmente derrame conjuntival, epistaxe e AVCH.

    AVCH: Acidente vascular cerebral hemorrágico ou derrame, consiste no extravasamento de Sangue no interior do cérebro causado pelo rompimento vascular durante crise hipertensiva.

    Suas sequelas dependem da extensão e localização do dano cerebral.

    Prevenção: Consultas curtas e pela manhã, ambiente agradável e calmo, manutenção da medicação dos pacientes ( Hipotensores e / ou duréticos) e seleção do anestésico.

    Conduta: Caso ocorra uma crise hipertensiva, deve-se suspender o tratamento, acalma o paciente, monitorar os sinais vitais ( PA e Pulso) e encaminhar para o hospital.

    ASFIXIA ( ASPIRAÇÃO DE CORPO ESTRANHO)

    Definida como obstrução total ou parcial da traquéia por corpo solido ou liquido que dificulte e/ou impeça a respiração do paciente.

    Diagnóstico: Dificuldade respiratória, colocação das tecidos, perda da consciência e parada respiratória.

    Prevenção: Cuidado ao manusear objetos pequenos na boca, uso do isolamento absoluto, posição do paciente ( evitar a posição deitado pois facilita a permeabilidade das vias aéreas superiores )

    Conduta: Utilização da manobra de Heimlich

    PRÉ- SINCOPE E SINCOPE

    Definidas com deficiência de oxigenação cerebral ( hipóxia) Temporária sem perda de consciência ( Pré-síncope) ou com perda de consciência (sincope e desmaio para síncope devido a grande descarga de adrenalina ( situação de medo, stress, susto, dor, etc) que provocam hipóxia cerebral.

    Prevenção: Minimizar ao máximo situações e procedimentos que provoquem medo, stress, susto, etc.

    Conduta: Colocar a cabeça entre as pernas e fazer força para levantá-la ( quanto possível) ou colocar o paciente em DDH ( decúbito dorsal horizontal). Não utilizar a posição de trendelemburg.

    Monitoração dos sinais vitais ( PA, pulso e respiração). Não ofereça nada para o paciente cheirar.

    CRISE EPILÉTICA

    Definida como desequilíbrio dos receptores sinápticos, provocando contrações involuntárias e generalizadas dos músculos.

    Prevenção: Manutenção da media pelo paciente, cuidado com o refletor ( flash de luz ) e situações que provocam medo ou stress.

    Conduta: Caso ocorra a crise epilética, devemos:

    Proteger a cabeça, não tentar conter os movimentos a língua, virar a cabeça , não tentar abrir a boca ou segurar a língua, virar a cabeça para favorecer a saída da sialorréia. . As crises duram de 2 a 3 minutos e usualmente o paciente urina e/ou defeca. Atenção para o aspecto psicológico!!