Roteiro de aulas

Cisto de Boca

CISTO DE BOCA (CISTO BUCAL)

O QUE É? COMO APARECE? COMO TRATA?

Os cistos são entidades patológicas que apresentam uma secreção líquida ou pastosa em seu interior, essas lesões são semprte revestidas de tecido epitelial na sua intimidade. Eles podem ser encontrados em várias regiões do corpo e suas formações são diversas. Quando essas formações têm origem na lâmina dentária, elas são denominadas cistos odontogênicos, enquanto os outros cistos são denominados não-odontogênicos.

COMO APARECEM OS CISTOS DE BOCA ODONTOGÊNICOS?

Essas lesões podem ser o resultado de uma proliferação de restos de tecidos epiteliais que foram responsáveis pela formação dos dentes. Esses restos, quando mal absorvidos pelo organismo, podem se proliferar de maneira patológica e formar cistos na região, mas esses tecidos sozinhos não são capazes de explicar o desenvolvimento dessas lesões: é preciso associar a presença dos remanescentes epiteliais a um agente traumático na região para que a proliferação seja desenvolvida.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE CISTOS DE BOCA ODONTOGÊNICOS?

Os cistos odontogênicos podem ser classificados de diversas maneiras, já que podem apresentar etiologia e caraterísticas diferentes, de acordo com a região ou com a faixa etária dos pacientes. A literatura científica, classifica os cistos odontogênicos em oito grandes grupos:

CISTO DA LÂMINA DENTÁRIA

Esse cisto de boca é também denominado cisto do recém-nascido, já que 80% dos casos aparecem nessa faixa etária. Eles se caracterizam por pequenos nódulos de coloração esbranquiçada, geralmente localizados nos alvéolos dos maxilares. Sua origem se dá pela proliferação de algumas células da lâmina dentária, que se queratinizam e formam os cistos.

CISTO PRIMORDIAL (QUERATOCISTO)

O queratocisto é uma formação geralmente assintomática. Quando cresce muito, pode começar a incomodar e gerar um pouco de dor na região. Sua frequência é mais comum próximo a região do terceiro molar, mas pode surgir também em outras partes do complexo maxilo-mandibular. É uma lesão mais comum em homens entre os 20 e 30 anos.

CISTO DENTÍGERO

Esse é um cisto mais frequente em adolescentes e jovens adultos. A lesão geralmente surge na coroa de um dente (os terceiros molares em maior incidência) e está relacionada com dentes já formados, sendo praticamente inexistente em dentes de leite. Seu crescimento é lento e assintomático, o que pode gerar grandes perdas ósseas e o deslocamento de outros dentes na arcada. O surgimento está provavelmente relacionado a uma alteração no tecido epitelial do esmalte após a formação completa do dente.

CISTO DE ERUPÇÃO

Esse tipo de cisto é uma variação do cisto dentígero, porém associado a dentes de leite ou permanentes que estejam passando por um processo de erupção. Essa lesão, geralmente, se localiza entre o epitélio reduzido do esmalte e da coroa do dente, e tem característica hemorrágica, deixando a região gengival com coloração roxa ou azulada.

CISTO PERIAPICAL

O cisto periapical é de longe, o mais comuns dos maxilares. Ele surge de um granuloma periapical preexistente, o qual constitui um foco cronicamente inflamado, intraósseo no ápice de um dente sem vitalidade. O granuloma periapical inicia-se e mantém-se pela degeneração de produtos necróticos do tecido pulpar. Na grande maioria das vezes o cisto periapical é assintomático e frequentemente são descobertos durante exames radiográficos de rotina..

CISTO PERIODONTAL LATERAL

O cisto periodontal lateral é definido como um cisto de desenvolvimento não inflamatório, não queratinizado, ocorrendo adjacente e lateralmente à raiz de um dente.. Acredita-se que a origem desse cisto se relacione à proliferação dos restos da lâmina dentâria. Os locais mais frequentes são as regiões de pré-molar e canino inferior e ocasionalmente em incisivos. Na maxila, as lesões são notadas principalmente em incisivos laterais. Existe segundo a literatura, uma predileção pelo sexo masculino em proporção de 2:1 em relação ao sexo feminino, surgem por volta dos 40 anos e geralmente são , assintomáticos.

CISTO ODONTOGÊNICO CALCIFICANTE

O cisto calcificante é considerado uma lesão extremamente rara, já que sua frequência de aparecimento não chega a 1% dos casos. Ao contrário dos outros cistos, o calcificante apresenta características neoplásicas e é tratado por especialistas da área como uma amostra de tumor odontogênico. Ele atinge, geralmente, a região anterior da arcada, e sua manifestação clínica é caracterizada pelo crescimento constante, porém sem sintoma. Seus picos de surgimento podem acontecer na faixa dos 20 ou dos 50 anos, com menor risco na faixa etária situada entre essas duas idades e sem predileção por algum dos sexos. Devido à sua caracterísrica neoplásica, muitos profissionais acreditam que ele pode influenciar a alteração de tecidos dentários e gengivais, aumentando o risco de desenvolvimento de tumores.

TRATAMENTO DO CISTO DE BOCA

O tratamento para os diversos casos do cisto de boca se baseiam em remoção cirúrgica e análise anatomo-patológica da lesão. Este procedimento, na dependência do tamanho e da região, pode ser feito em ambiente de consultório com anestesia local ou eventualmente sob anestesia geral em centro cirúrgico hospitalar. É importante salientar que estes procedimentos de diagnóstico e tratamento dos cistos bucais, são feitos por profissionais especialistas em Estomatologia e/ou especialistas em Cirurgia Bucomaxilofacial.

PROGNÓSTICO APÓS O TRATAMENTO

São poucos os casos de cistos de boca que quando removidos, reaparecem nas mesmas regiões bucais, entretanto, pode ser interessante manter o acompanhamento anual de pacientes que apresentaram essas alterações..

Quais são os casos mais comuns de cisto de boca avaliados no seu consultório? Você ainda tem alguma dúvida ou comentário sobre as manifestações dessas lesões bucais? Participe da discussão através dos comentários!